A verdadeira história de São Jorge

22-10-2012 17:51

 

                                  

Conta-se que Jorge teria nascido na antiga Capadócia, região que, atualmente, faz parte da Turquia. Ainda criança, mudou-se para a Palestina com sua mãe após seu pai morrer em batalha. Sua mãe tinha nascido na Palestina, era rica e o educou muito bem. Ao atingir a adolescência, Jorge entrou para a carreira das armas. Logo foi promovido a capitão do exército romano devido a sua dedicação e habilidade — qualidades que levaram o imperador a lhe conferir o título de conde da Capadócia. Aos 23 anos passou a residir na corte imperial em Nicomédia, exercendo a função de Tribuno Militar.

Nesse tempo sua mãe faleceu e ele foi para a corte do Imperador.  Jorge distribuiu tudo o que tinha aos pobres.

O imperador Diocleciano tinha planos de matar todos os cristãos e no dia marcado para o senado confirmar o decreto imperial, Jorge levantou-se no meio da reunião dizendo que estava espantado com aquela decisão, e afirmou que os romanos deviam se converter ao cristianismo.

Todos estranharam ao ouvirem estas palavras de um membro da suprema corte romana, que defendia com grande ousadia a fé em Jesus Cristo. Indagado por um cônsul sobre a origem dessa ousadia, Jorge prontamente respondeu-lhe que era por causa da Verdade.

O tal cônsul, não satisfeito, quis saber: "O que é a Verdade?".  

Jorge respondeu-lhe: "A Verdade é meu Senhor Jesus Cristo, a quem vós perseguis, e eu sou servo de meu redentor Jesus Cristo, e Nele confiando me pus no meio de vós para dar testemunho da Verdade.".

Como Jorge mantinha-se fiel a Jesus, o imperador tentou fazê-lo desistir da fé torturando-o de vários modos. E, após cada tortura, era levado perante o imperador, que lhe perguntava se renegaria a Jesus para adorar os ídolos. Mas, Jorge reafirmava sua fé.

Muitos romanos ficaram sabendo do que estava acontecendo e, com pena de Jorge, pediam para soltá-lo.

Inclusive a mulher do imperador, que aceitou a Jesus.

 Finalmente, Diocleciano mandou cortar sua cabeça no dia 23 de abril de 303, em Nicomédia (Ásia Menor).

Mais tarde o imperador Constantino mandou fazer um oratório (que é tipo um altar onde os católicos rezam) aberto aos fiéis, para que todos rezassem a Jorge.

(Tirado do Wikipédia - http://pt.wikipedia.org/wiki/S%C3%A3o_Jorge ).

Agora pense bem, se Jorge morreu porque não aceitou orar a ninguém mais que não fosse o Senhor Jesus, se ele não aceitava os ídolos, por que hoje em dia os católicos e espíritas fizeram uma imagem dele e rezam para ele? Isso não é estranho? Será que Jorge ficaria feliz se soubesse disso? Assim é com a maioria dos outros santos.

Mas, por que Jorge não aceitava os ídolos, as imagens, as esculturas?

Porque ele aprendeu com sua mãe que só devemos adorar a Deus. Porque ele aceitou a Jesus como seu único Salvador e Senhor. A Bíblia diz que Jesus é o Caminho, a Verdade e a Vida. Ninguém vai a Deus a não ser através de Jesus. (João 14:6). E também que não devemos fazer imagens de escultura, nem alguma coisa parecida do que há no céu, nem na terra, nem na água. E que não podemos nos encurvar a elas. (Êxodo 20:4 e 5). Isto é um pecado que Deus detesta. Mas, se alguém que fez isso entender que isso desagrada a Deus, se arrepender e aceitar a Jesus como Salvador, Ele perdoará e salvará essa pessoa de uma vida eterna sem Deus, e um dia essa pessoa poderá morar em Sua casa, no céu. Mas, só quem crer em Jesus. Pois, como posso morar com alguém em quem eu não acredito, não é mesmo? Pense nisso!